Sale! Graviola Low Cost - Anti-Câncer/Cancro - 30 cápsulas de 1000mg

Graviola Low Cost - Anti-Câncer/Cancro - 30 cápsulas de 1000mg

Neuer Artikel

No reward points for this product.


5,36 € inkl. MwSt.

Auf meine Wunschliste

Aceitamos Multibanco, Transferência, Payshop, Visa, Western Union, Boleto, Etc...
Aceitamos Multibanco, Transferência, Payshop, Visa, Western Union, Boleto, Etc...

Mehr Infos

GRAVIOLA 1000 MG

Modo de tomar:
Tomar 1 cápsula duas vezes ao dia.

Ingredientes:
Anti-aglomerante: Maltodextrina de Milho; Gelificante: Celulose Microcristalina; Extracto seco concentrado (10:1) de
Annona muricata
, Graviola 14,29%; Cápsula: Gelatina; Anti-Aglomerante: Estearato de Magnésio, Silicato de Magnésio,
Dióxido de silício.

Informação complementar:
Extracto seco concentrado (10:1) de Annona muricata, Graviola 200mg (Equivalente de Planta 2000mg)


As pesquisas comprovam que a annona muricata (Graviola) tem demonstrado resultados positivos como: inibidora do vírus herpes simplex; possuir propriedades antivirais, antiparasitárias; e ser benéfica contra os efeitos antirreumático e citotóxicos. Hoje em dia sabe-se também que tem propriedades anti-Cancro/Câncer.

A Graviola tem sido usada desde há séculos por tribos indígenas no combate e prevenção de diversas maleitas. Por exemplo, nos Andes Peruanos usam o chá das folhas para combater o catarro, e na Amazónia peruana para diabetes, como sedativo e anti-espasmódico.

O chá das folhas da graviola é usado popularmente como digestivo, para problemas de fígado, hipertensão, para combater insónias e enxaquecas.

Na Graviola tudo se aproveita, desde as flores, folhas, fruto, sementes e até a raiz. As suas supostas propriedades anti-cancerígenas estão também muito divulgadas, sobretudo pela internet.

Ver este vídeo: Vídeo

A Graviola(Annona Muricata), vem sendo pesquisada por várias universidades e instituições independentes. Abaixo se encontra um breve resumo das principais pesquisas conduzida por estas instituições:

Principais Ações da Graviola(em ordem)
Anticancerígeno, antitumoral, antimicrobiano, antiparasítico, hipotensivo.

Principas Usos da Graviola

-Câncer(todos os tipos)

-Antimicrobiano interno e externo de amplo espectro para infecções bact erianas e fúngicas.

-Vermes e parasitas internos

-Hipertensão

-Depressão, stress e distúrbio do sistema nervoso.

Propriedades e ações documentadas por pesquisas
Antibacteriano, anticancerígeno, antidepressivo, antifúngico, antimalárica, antimutagénico, antiparasítico, antiespasmódico, antitumoral, cardiodepressivo, emética, hipotensivo, inseticida, sedativa, estimulante uterino e vasodilatadora.


Os efeitos anticancerígenos e citotóxicos da graviola são atribuídos às acetogeninas anonáceas, que apresentam diversos mecanismos de ação, descriminados abaixo :

Mecanismos de ação (Leia observação no final da página)

Atividade anticancerígena e Citotóxica

• Inibição da enzima NADH oxidase nas membranas plasmáticas das células cancerígenas, resultando na diminuição brusca de ATP celular.46,79,80

• Inibição do complexo I (NADH:ubiquinona oxidoredutase) no sistema de transporte eletrônico mitocondrial, inibindo a fosforilação oxidativa e resultando na diminuição dos níveis de ATP celular e na inibição do crescimento das células cancerígenas.46,80-83

• Inibição das células cancerígenas resistentes a múltiplas drogas. A resistência à múltiplas drogas, dentre outras causas, ocorre pelo presença de uma“bomba”, P – glicoproteína, na membrana plasmática das células cancerígenas. Essa “bomba” assegura a eliminação das drogas anticâncer antes mesmo que elas tenham ação. Sua atividade necessita de ATP. Foram descobertos dois sítios de ligação intracelular ao ATP na estrutura molecular das P-glicoproteínas. As acetogeninas, através do mecanismo de diminuição do ATP, pode reduzir a atividade ou mesmo fechar a bomba de P-glicoproteína.46,80,84

• As células cancerígenas na fase S do ciclo celular são mais vulneráveis à ação das Acetogeninas Anonáceas. A Anonacina induz o ciclo celular a parar na fase G1 e inibe a progressão da fase S . Além disso estimula a ação de p53 e p21, proteínas do ponto de checagem do ciclo.48

Através de mecanismos de ação citados acima, as acetogeninas fazem diminuir a fosforilação oxidativa e a produção citosólica de ATP. A privação de ATP leva as células cancerígenas à apoptose.46,80


    CONTRA INDICAÇÕES
    Contra indicado durante a gravidez ou amamentação.

    A Graviola têm demonstrado atividades hipotensiva, vasodilatadora e cardiodepressiva em estudos feitos em animais. Pessoas com pressão baixa ou que utilizam medicação antihipertensiva devem consultar o seu médico antes de utilizar a Graviola, e ainda monitorar sua pressão sanguínea freqüentemente.

    Graviola é contra indicado em combinação com CoQ10 e outros suplementos que aumentam a ATP celular. Um dos mecanismos de ação da Graviola é agir como inibidor de ATP.
    Um estudo com ratos que receberam intragastricamente, extrato do caule-casca (a 100 mg/kg) ,demonstrou um aumento de dopamina, norepinefrina e da atividade da monoaminoxidase, assim como uma inibição da liberação de serotonina em ratos induzidos ao stress.
    É provável que devido à isso , o uso desta planta é contraindicado em combinação com inibidores da monoaminoxidase(MAO) e em algumas prescrições de antidepressivos. Antes de iniciar o uso da graviola ,verifique com seu médico se você se você se encaixa em algum dos dois grupos citados acima

     INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS

    Nenhuma interação foi reportada, porém a graviola pode potencializar a atividade de drogas antihipertensivas e cardiodepressivas.

    Existe a possibilidade de potencializar drogas antidepressivas e interferir na atividade dos inibidores de MAO(monoamino-oxidase). Veja as contra-indicações acima.

      OUTRAS OBSERVAÇÕES:

    A Graviola, tem demonstrado significativas propriedades antimicrobial in vitro. Uso crônico ou prolongado destas plantas pode prejudicar bactérias amigáveis ao trato gastrointestinal, devido as sua propriedades antimicrobianas. Complementar a dieta com probióticos e enzimas digestivas(como iogurte) é recomedável, se este produto for utilizado por mais de 30 dias.

    A Graviola demonstrou propriedades eméticas em um estudo com animais, realizado com porcos. Altas dosagens únicas podem causar náusea ou vômitos. Caso isto ocorra, a utilização deve ser reduzida adequadamente, ou deve ser utilizada durante as refeições.

    Beber muita água(pelo menos 8 copos por dia) é recomendável para evitar ou reduzir a reação Herxheimer.

    Esta planta vem sendo utilizada como sedativo por tribos indígenas(em grandes quantidades). Reduza a dosagem, se isto ocorrer.


    Referencias bibliográficas

    1. Schultes, R. E. e Raffauf. “A cura através da floresta : Plantas medicinais e tóxicas do noroeste da Amazônia”. Portland: R. F. Dioscorides Press. 1990.
    2. Morton, J. F. “A medicina popular do Caribe e América Latina e sua influência nos Estados Unidos. Q. J. Crude Drug Res. 1980; 18(2): 57-75
    15. Weniger, B. et al. “Medicina Popular do Haiti. 2. Inventário Etnofarmacológico” J. Ethnopharmacol. 1986; 17(1): 13-30.
    30. Ibid.
    31. Relatório de dados técnicos para a Graviola (Annona muricata). Sage Press, Inc. 2002.
    32. Anon. Unpublished Data, Instituto nacional do Câncer . Nat. Cancer Inst. Central Files. 1976.
    33. Ye, Q., et al. “Longifolicina, longicoricina e gigantetroneninona, Três novas acetogeninas anonáceas mono-tetrahidrofurânicas bioativas de Asimina longifolia (Annonaceae).” Bioorg. Med.Chem. 1996; 4(4): 537-4.
    34. Wang, L. Q., et al. “Acetogeninas Anonáceas das folhas de Annona montana.” Bioorg. Med. Chem. 2002; 10(3): 561-5.
    35. Chang, R. F., et al. “ Novas Acetogeninas anonáceas citotóxicas da Annona muricata.” J. Nat.Prod. 2001; 64(7): 925-31.
    36. Chang, F. R., et al. “Novas Acetogeninas anonáceas bis-tetrahidrofurânicas de Annona muricata.” Planta Med. 2003; 69(3): 241-6.
    37. Liaw, C. C., et al. “Novas acetogeninas anonáceas mono-tetrahidrofurânicas citotóxicas de Annona muricata”. J. Nat. Prod. 2002; 65(4): 470-5.
    38. Betancur-Galvis, L., et al. “Atividade Antitumoral e antiviral dos extratos de plantas medicinais da Colombia.” Mem. Inst. Oswaldo Cruz. 1999; 94(4): 531-5.
    39. Woo, M. H., et al. “Cis-anonacina (2,4)-cis-e trans-isoanonacinas: Acetogeninas anonáceas mono-tetrahidrofurânicas citotóxicas das sementes de Annona cherimolia.” Arch.Pharm. Res. 1999; 22(5): 524-8.
    40. Kim, G. S., et al. “Muricoreacina and murihexocina c, acetogeninas mono-tetrahidrofurânicas, das folhas de Annona muricata.” Phytochemistry 1998; 49(2): 565-571.
    41. Fang, X. P., et al. “Gigantetronenina e gigantrionenina:
    Novas acetogeninas citotóxicas de Goniothalamus giganteus.” J. Nat. Prod. 1992; 55(11): 1655-63.
    42. Jossang, A., et al. “Anomonisvina: Uma nova acetogenina gama-lactona-monotetrahidrofurânica citotóxica de Annona montana.” J. Nat. Prod. 1991; 54(4): 967-71.
    43. Oberlies, N. H., et al. “Relações entre estrutura e atividade das diversas acetogeninas anonáceas contra células de adenocarcinoma de mama (MCF-7/Adr) resistentes a múltiplas drogas.” J. Med. Chem. 1997; 40(13): 2102-6.
    44. Zhao, G. X., et al. “ Acetogeninas biológicamente ativas dos caules e cascas de Asimina triloba.” Phytochemistry 1993; 33(5): 1065-73.
    45. Gonzalez-Coloma. A., et al. “Ação seletiva das acetogeninas, inibidoras do complexo I mitocondrial.” Naturforsch 2002; 57(11-12): 1028-34.
    46. Feras, Q., et al. “Acetogeninas Anonáceas: Progressos Recentes.” J. Nat. Prod. 1999; 62(3): 504-540.
    47. Oberlies, N. H., et al. “ Inibição de células tumorais em ensaio de difusão em disco in vitro por várias acetogeninas anonáceas. ” Cancer Lett. 1995; 96(1): 55-62.
    48. Yuan, Shyng-Shiou F., et al. “Anonacina, uma acetogenina mono-tetrahidrofurânica, induz o ciclo celular a parar na fase G1 e causa citotoxicidade na Bax- and caspase-3.” Life Sciences 2003; 72: 2853-2861.
    49. Abraham, A. M. “ Extratos de plantas com propriedades citostáticas em Cuba.” Rev. Cubana Med.Trop. 1979; 31(2): 97-104.
    50. Lannuzel, A., et al. “Toxicidade das Anonáceas em neurônios dopaminérgicos: Função potencial em doença de parkinson atípica em Guadeloupe.” Mov. Disord. 2002; 17(1): 84-90.
    79. Morre, D. J., et al. “Modo de ação da bulatacina,uma potente acetogenina: Inibição da atividade da NADH oxidase nas membranas plasmáticas da HeLa e HL-60” Life Sci. 1995; 56(5): 343- 8.
    80. Oberlies, N. H., et al. “Relações entre estrutura e atividade das diversas Acetogeninas Anonáceas contra células de adenocarcinoma de mama (MCF-7/Adr) resistentes a múltiplas drogas.” J. Med. Chem. 1997; 40(13): 2102-6.
    81. Tormo, J. R., et al. “Epoxi-acetogeninas e outros derivados epoxi poliquetídeos como inibidores do complexo I da cadeia respiratória mitocondrial. ” Planta Med. 2000; 66(4): 318-23.
    cinética dos inibidores do complexo I mitocondrial ”. Arch. Biochem. Biophys. 1999; 369(1): 119-26.
    83. Alali, F. Q., et al. “Acetogeninas Anonáceas: Progressos Recentes.” J. Nat. Prod. 1999; 62(3): 504-40.
    84. Gonzalez-Coloma, A., et al. “Ação Seletiva das acetogeninas inibidoras do complexo I mitocondrial.” Z. Naturforsch 2002; 57(11-12): 1028-34.
    85. Hasrat, J. A., et al. “ Derivados Isoquinolínicos isolados da fruta de Annona muricata como agonistas dos receptores 5-Htergic, 5-HT1A
    em ratos: Produtos antidepressivos inexplorados.” J. Pharm. Pharmacol. 1997; 49(11): 1145-9.

**Todas informações contidas neste site, tem apenas caráter informativo, e náo visam prescrever ou ir de encontro ao conselho médico. Se voce está procurando tratar qualquer doença, procure um profissional de saúde.

Comentários/Opiniões Reais e Confirmados

Path: > Graviola Low Cost - Anti-Câncer/Cancro - 30 cápsulas de 1000mg

Kunden, die dieses Produkt gekauft haben, kauften auch ...

30 andere Produkte in der gleichen Kategorie: